[

Os 2 traços chave que indicam potencial de liderança para papéis de continuidade

]
[ Home > Blog > Os 2 traços chave que indicam potencial de liderança para papéis de continuidade]

Depois de entender os traços de personalidade básicos para qualquer papel de liderança, é preciso refinar a percepção incluindo o que é crucial de acordo com o tipo de desafio. Nesse artigo você vai ver os traços de personalidade cruciais para que alguém tenha potencial de liderança, podendo conquistar o sucesso quando o desafio é de continuidade, onde é preciso manter e refinar o status quo.

Existe uma demanda real por líder de continuidade?

A continuidade é primordial após um grande ciclo de transformações, e por isso, é preciso que o profissional que irá assumir a função tenha potencial de liderança. Mudanças tiram as pessoas da sua zona de conforto e pedem um esforço adicional. Ao mesmo tempo, cada um precisa dar conta do seu dia a dia enquanto faz a mudança acontecer. Dessa forma, quando a mudança é concluída, as pessoas estão física e emocionalmente cansadas. Nesse momento a empresa precisa se ‘recarregar’, retomar assim o equilíbrio. Durante esse tempo, investimentos foram feitos com a promessa de ter grandes retornos. Então é hora de refazer o caixa, trazendo o que foi prometido. Por isso a resposta é sim, um líder de continuidade é muito importante após um ciclo de renovação.

Todo líder precisa ser autônomo, automotivado, estável emocionalmente, tomar a frente e dar a direção. Quando o desafio é manter o novo patamar conquistado, fazendo a sintonia fina dos processos, pessoas e tecnologia, outras características se somam a essas para indicar potencial de sucesso. Além do perfil básico, o líder mantenedor precisa mostrar constância nas entregas e dar continuidade nas relações.

Constância

Com as atividades e processos uma vez desenhados e estabelecidos, precisam se mostrar consistentes ao longo do tempo. Processos instáveis reduzem a previsão do processo produtivo (tanto em produto, quanto serviço ou tecnologia). Imagine um caixa eletrônico que entrega a soma correta de valores em apenas 99% das vezes? E o exame de sangue que traz resultados corretos em somente 80% dos testes? A instabilidade gera insegurança e abala a credibilidade do negócio. Quando a concorrência faz o mesmo de forma consistente, lá se vai a participação de mercado.

Quando os processos são consistentes e estáveis ao longo do tempo, há segurança de aquisição por parte do cliente e de trabalho por parte das equipes. A constância dá espaço para o planejamento, o que é impossível em uma situação de instabilidade e improviso, tendo que apagar incêndio. Ter método é o primeiro passo para que exista espaço de escalar o negócio.

O líder mantenedor de processos, rotinas e equipes, dá valor para as metodologias e faz uso delas em todas as frentes de trabalho. Sem um método, o trabalho depende de criatividade constante e improviso, o que no longo prazo compromete o avanço. Havendo uma metodologia a seguir esse líder consegue dar força ao modelo e então focar no aumento da produtividade.

Relacionamento

Profissionais que trabalham com mudança gostam de desafiar o status quo, apreciam a quebra de padrões e se encantam com o espaço para inovações e grandes rupturas. Isso tudo, além de tirar as pessoas da zona de conforto, gera medo e resistência. Segundo Shaul Oreg, a mudança gera resistência por diferentes motivos:

  • A relutância em se desapegar de velhos hábitos;
  • A preferência por mais do mesmo ao invés da novidade;
  • A intolerância aos períodos de ajuste pela necessidade de viver uma nova curva de aprendizado;
  • A falta de resiliência para admitir que o passado era imperfeito;
  • Rigidez cognitiva que reduz o gosto por se ajustar a novas situações;
  • A relutância em perder o controle por mudança impostas por terceiros.

Quando o trabalho obtém um novo patamar, além dos processos precisarem ser estabilizados, o mesmo acontece com as relações. Os profissionais que superam a mudança, precisam encontrar um novo normal, refazer suas relações, já que muito do seu círculo de confiança e afinidade pode ter sido desfeito com demissões ou mudanças de estrutura.

Na vinda de um novo gestor, é preciso aprender a trabalhar e entender um novo modelo e, decidir então, o que quanto ele o inspira e suporta. O líder mantenedor é aquele que zela pela saúde e serenidade das relações do dia a dia. Essas atividades envolvem assim muitas tarefas de alta repetição, com maior ou menor investimento mental. Elas são feitas, sobretudo, por pessoas com grande apreço pela criação e manutenção de um ambiente amigável, de relações gentis, com alto nível de coleguismo. Portanto, o profissional com potencial de liderança e que prima por isso, faz muita diferença.

Quer saber mais?

Quais são as necessidades adicionais quando o líder assume uma posição de transformação? O que muda para a liderança nos níveis mais altos de uma empresa, os chamados C-Level? Clique e então se aprofunde.

Referências: Barling; Bass & Avolio

Publicado em Março de 2019.

AUTORA [Maria Candida Baumer de Azevedo]
Administradora pela UFPR, mestre pelo COPPEAD-UFRJ, doutoranda na Holanda em carreira e graduanda em psicologia. Morou nos EUA, UK, Holanda, Cingapura e França, atuando em diferentes empresas e áreas de negócio. Sócia fundadora da People & Results, é docente na FGV-SP, Fundação Dom Cabral e Insper.
VOLTAR
Cadastre-se e receba
novidades em seu e-mail